25 de set de 2009

A FLIPA E A PERUA QUE DEU CERTO!


To na FLIPA! As ruelas badaladas da praia de Pipa dividem atenção com intelectuais potiguares e brasileiros afim de revenrenciar a arte de escrever e o amor pela leitura. Na estrutura armada na praça dos pescadores, localizada na Avenida Baía dos Golfinhos, nomes importantes da cena se misturam com turistas do mundo e nativos praianos para encontros memoráveis. Dois deles aconteceram na noite de abertura, realizada nesta quinta-feira.
A doce escritora etíope Marina Colasanti trouxe a platéia consigo numa viagem que falava de amor, aventura, castelos e fantasia. Com um universo transitando entre o fantástico do imaginário infantil com uma boa dose de realidade, provou cativar qualquer ser vivente ao contar suas deliciosas histórias.
Já a Danuza Leão, tinha que sair e deixar rastros. Confesso que mesmo sem ter lido nenhum livro seu, me arrepiei ao saber de sua presença na FLIPA. Ela faz parte de um hall de pessoas que achamos nunca poder estar perto. Mas ela veio e disparou cada uma...
Abaixo relaciono uma parte de suas falas mais contraditórias, de efeito e polêmicas da perua que deu certo. Confira!

Frases de Danuza Leão na FLIPA

“Talvez eu seja um E.T.!”

“Não nasci para ser muito rica”

“Não me considero escritora. Sou uma pessoa que escreve”

“Continuo sem saber o que sou”

“Odeio os políticos atuais. Sou amiga do Serra e o considero meu amigo”

“Eu tinha inveja do engajamento de minha irmã (Nara Leão) e ela tinha inveja do meu glamour. Nunca conseguimos resolver isto”

“Cansei do glamour. Está tudo muito igual. Estou cada vez mais jeans, camiseta e tênis”

“Tenho horror a tudo que escrevo”


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra a boca!